O valor da cultura Organizacional

04/07/2017 |

Cada vez mais sabemos que a cultura corporativa pode fazer uma empresa ser vista como um potencial e, ao mesmo tempo, uma cultura corporativa pode fazer uma empresa ser vista como “pouco ou nada interessante”. Como uma cultura pode fazer tanto?

 

Ontem, um amigo me convidou para ir a um ambiente para um estudo de antropologia. Ele sabe que adoro antropologia e filosofia e brincou comigo, me convidando para fazer um estudo da cultura de uma das empresas do grupo onde ele trabalha. Disse que eu ficaria surpresa com o modelo cultural.

 

Essa empresa do grupo vive uma crise de identidade corporativa e os resultados gerados – atualmente – estão abaixo do esperado. Aqui, temos um exemplo pontual do quanto uma cultura corporativa agrega valor ao negócio.

 

Quanto mais a empresa tem uma cultura e comunica sua cultura, mais forte ela se torna e maior é o potencial para gerar os resultados.

 

Pois uma empresa que tem definida a sua visão de futuro ou legado, como esta sendo definida no cenário corporativo nos últimos tempos, revela-se como fonte de inspiração para profissionais, parceiros, clientes e acionistas ou investidores.

 

Lógico que saber para onde ela quer ir é inspirador. E saber o que será feito para dar sustentação ao futuro desenhado é de grande valia também.

 

Essas duas informações são referências para os profissionais que estão dentro da organização e para os que desejam entrar.

 

A cultura é um fator de “atração" para profissionais que a empresa quer recrutar. Quando a cultura está pouco definida, é possível ocorrer uma grande rotatividade. As pessoas, insatisfeitas, não se sentem incluídas e acabam por propagar a empresa ao revés, pois existe pouca aderência à cultura.

 

A Cultura Corporativa favorece um posicionamento, primeiro internamente e depois externamente. Em tempos de crise essa é uma atitude que conta muito.

 

Para que uma empresa seja competitiva é essencial o seu posicionamento. Ele influencia internamente a atitude dos seus colaboradores que a representam diretamente.

 

Esse posicionamento influencia os seus parceiros e fornecedores. Quanto mais alinhados em visão de futuro ou legado, melhor será a aliança às praticas e aos comportamentos, e isso traz sincronismo e ganho para todos os envolvidos.

 

Uma empresa que tem a cultura de transparência e compromisso com o social, por exemplo, irá buscar parceiros alinhados, que praticam os mesmos valores para desenvolver uma postura de congruência interna e externamente.

 

Espera-se que, para atingir o sucesso, uma empresa com missão ou atitudes definidas pratique o que define como atitude e crenças. Normalmente, os valores que define serão os condutores de suas atitudes e comportamentos.

 

Por isso, costumo orientar os executivos no processo de desenvolvimento ou implantação de uma cultura sobre o quanto é importante avaliarmos com carinho e honestidade o que faz sentido como prática no dia a dia.

 

Quanto mais a definição for inspiradora para quem está na empresa, melhor será a concretização de sua cultura.

Um dos pontos que hoje faz uma empresa perder a credibilidade é manter um valor ou uma atitude incongruente. Falar algo e agir opostamente custa muito para as empresas.

 

Esse cuidado se faz importante, pois quem representa a cultura corporativa são os profissionais. Quanto mais alinhados, mais a empresa ganha e o profissional também.

 

A cultura, quando definida, favorece os processos de contratação e a atração de talentos que estarão afinados à cultura. Uma contratação pautada na cultura é muito mais produtiva.

 

Todos os envolvidos ganham: o colaborador, a empresa, a família do profissional, a sociedade. E a relação é sustentável. Relacionamentos sustentáveis estão pautados em uma cultura e em valores que têm sinergia entre as partes.

 

Definir de forma palatável uma cultura é torná-la bela aos olhos de quem tem a mesma visão de futuro e os mesmos valores, compondo de formas diferentes para chegar ao mesmo objetivo.

 

Hoje, um valor para grande parte dos profissionais é fazer parte de uma história que o faça ter orgulho de construir. Se no passado meus avós trabalharam em uma empresa para ter segurança e garantir seu emprego, hoje desejamos fazer parte de uma empresa que irá agregar valor na história.

 

E que faz história com os valores que a pessoa valoriza, sejam eles quais forem. Os profissionais buscam hoje uma empresa que tenha uma visão de legado, para que ele possa construir esse legado também.

 

Então que possamos fazer a melhor história começando com a definição da cultura corporativa!

 

Texto: Marcia Dolores Rezende