Metodologia

PNL – Programação Neurolinguística

PNL – Programação Neurolinguística

A Programação Neurolinguística teve origem em Santa Cruz na Califórnia (EUA) no inicio da década de 70 com o John Grinder e Richard Bandler, que estudava na Universidade da Califórnia. Eles analisaram os padrões linguísticos como um conjunto de modelos e princípios que descrevem a relação entre a mente (neuro) e a linguagem (verbal e não verbal) e como a sua interação pode ser organizada (programação) para influenciar a mente, corpo ou o comportamento do individuo, de modo a transformar padrões improdutivos e potencializar benefícios.

 

Richard Bandler e John Grinder estruturaram a PNL a partir de estratégias utilizadas por Virginia Satir (terapeuta familiar e sistêmica), Milton Erickson (psiquiatra e hipnoterapia) e Fritz Perls (criador da Gestalterapia) que tinham resultados excepcionais com os pacientes. O objetivo era identificar os caminhos cerebrais utilizados por estes profissionais e poder utiliza-los obtendo os mesmos resultados, para depois ensiná-los a outras pessoas que teriam resultados também excelentes.

 

A partir dos seus padrões linguísticos e comportamentais, Richard Bandler e John Grinder construíram modelos mentais que pudessem ser disseminados e aproveitados pelo publico em geral, onde é possível vivenciar as estratégias e ter benefícios com elas.

 

Este material modelado Bandler e Grinder possibilitou a criação de um modelo capaz de proporcionar a modelagem de padrões de excelência, que significa identificar os padrões disponíveis como se faz uma pessoa realizar algo excelente e ensinar essa estrutura para outras pessoas, considerando que se alguém pode fazer algo, qualquer pessoa pode, se esse for seu objetivo.

 

O que é:

A PNL é uma técnica que explora como nossa mente pode ser influenciada pelas palavras que utilizamos, e deste modo compreender como esta interação nos leva às nossas ações. Esse ciclo é constante em nossa vida e com a utilização da PNL é possível torna-lo produtivo e que casa um use sua mente de forma favorável.

 

À partir destes estudos é possível reestruturar a maneira como pensamos sobre nós mesmos e sobre o mundo, possibilitando novas atuações e resultados.

 

Através da Programação Neurolinguística é possível estruturar experiências internas, transformando pensamento, comportamentos, capacidades, crenças e sua própria identidade bem como a conexão com as pessoas e situações, utilizando seu cérebro de forma mais eficiente caminhando em direção de seus objetivos.

 

PRESSUPOSTOS BÁSICOS DA PNL

  1. O mapa é diferente do território.

    Ação: Saber que cada pessoa responde a sua experiência interna e não à realidade em si. Isso possibilita respeitar os valores e as crenças do outro, reconhecendo que cada pessoa tem um ponto.

    Oposto: Acreditar que você conhece a verdade enquanto os outros estão errados, insistir que vejam as coisas da sua maneira.

  2. Ter escolhas é a melhor escolha sempre.

    Ação: Agir sempre a fim de aumentar a sua própria escolha e dar mais escolhas aos outros.

    Oposto: Limitar as próprias escolhas e as das outras pessoas.

  3. As pessoas fazem a melhor escolha que podem no momento, de acordo com seu modelo de mundo.

    Ação: Respeitar as suas ações e a das outras pessoas como seno a melhor no momento presente; lembrar que se você tivesse a mesma educação, as experiências e os pensamentos do outro e vivenciasse a mesma experiência agiria da mesma forma. Compreender que não é melhor do que o outro e que o outro não é melhor que você.

    Oposto: Pensar que é melhor ou pior é julgar e condenar as ações.

  4. Nós temos todos os recursos que necessitamos.

    Ação: Confiar que você e os outros possuem os recursos e que muitas vezes ainda não sabem que eles estão todos disponíveis.

    Oposto: Tratar a si e aos outros como se estivessem “quebrados” e errados.

  5. Todo comportamento possui uma intenção produtiva para quem desenvolve o comportamento.

    Ação: Reconhecer a intenção produtiva das suas ações mesmo que a ação não seja ainda a desejada. Reconhecer que o outro também tem uma intenção produtiva.

    Oposto: Pensar que você e os outros são completamente “maus”, condenando as ações.

  6. O significado da comunicação é a resposta que você obtém que pode ser diferente do que você pretende.

    Ação: Assumir a responsabilidade da comunicação, prestar atenção no feedback da outra pessoa. Lembrar-se não há falha na comunicação, só respostas.

    Oposto: Pensar que quando comunica e o outro não entende é automaticamente culpa dele, julgando o outro e a si mesmo.

  7. Se o que você está fazendo traz insatisfação, faça algo diferente.

    Ação: Criar novas possibilidades e inovar quando se deparar ou julgar o outro pelo resultado que se obtém.

    Oposto: Sentir-se culpado diante do resultado que não deseja ou julgar o outro pelo resultado que se obtém.

  8. Mente e corpo formam um único sistema, aquilo que influencia um naturalmente influencia o outro.

    Ação: Cuidar dos pensamentos, além de nossos corpos, desvinculando-se de pensamentos limitantes e estados limitadores atuando com flexibilidade.

    Oposto: Utilizar só solução química para todos os diagnósticos físicos e mentais ou o oposto, só soluções mentais.

  9. Processamos todas as informações por meio de nossos sentidos, quanto mais os nossos canais estiverem abertos e claros, melhor a informação.

    Ação: Considerar que o limite do nosso mundo é o limite dos nossos sentidos, atuar para ampliar e aguçar todos os sentidos.

    Oposto: Se você não pode ver alguma coisa, ele não existe.

  10. Se uma pessoa pode fazer algo, todos podem aprender a fazê-lo também.

    Ação: Buscar a excelência para observar seus próprios momentos de excelência e modelar e aprender com todos que passam pelo seu caminho.

    Oposto: Considerar “talento inato” e não dar oportunidade a si mesmo, e nem para outras pessoas de se desenvolverem e terem excelência. Ressentir-se caso alguém faça algo melhor que você.

  11. O que existem são resultados sempre. Existem feedbacks sempre.

    Ação: Saber que toda ação traz um resultado e que podemos trabalhar sempre com esse resultado, seja para melhora-lo ou modifica-lo. Olhar os resultados das outras pessoas e considerar como informação.

    Oposto: Culpar-se pelos resultados, procurar culpados ou quem errou.

  12. Todo comportamento é útil em algum contexto.

    Ação: Cada comportamento tem a sua utilidade, então considere que em algum contexto você poderá utilizar o seu comportamento.

    Oposto: Olhar o seu comportamento ou o dos outros como inútil.

  13. O valor de um indivíduo é constante enquanto o seu comportamento pode mudar.

    Ação: Reconhecer o seu valor e o das pessoas independentemente do comportamento, pois a identidade se mantém com todos os seus valores.

    Oposto: Associar os comportamentos a sua identidade ou a das pessoas, como se você fosse aquilo que faz.

  14. A resistência é um comentátio a respeito da inflexibilidade do comunicador.

    Ação: Reconhecer que as pessoas só respondem ao que transmitimos, então sabemos que a resistência não existe, é só uma informação.

    Oposto: Acreditar que existem pessoas resistentes.

  15. Você tem o poder sempre e influencia o sistema no qual está inserido.

    Ação: Ter a consciência de que tudo o que fala ou faz influencia nas pessoas e no ambiente à sua volta.

    Oposto: Desacreditar em ações, e subestimar aos outros e a si mesmo.


  16.  

Metodologias para  Planejamento

O cérebro responde com agilidade quando temos algumas informações importantes como: objetivo, estratégia e flexibilidade para lidar com os desafios com  criatividade.

Para conquistar os objetivos temos dois métodos importantes os 4D’s Direção, Decisão, Dedicação e Durabilidade e os 3M’s Metas, Métricas e Mensuração, visando ter flexibilidade para alcançar seus objetivos tanto no contexto pessoal como profissional.

Desenvolver “jogo de cintura” e manter o foco é importante para chegar até onde se deseja.

Hipnose Ericksoniana ​

Hipnose Ericksoniana ​

A Hipnose ganhou corpo em nosso trabalho, considerando o seu poder em transformar por meio da linguagem conflitos, sintomas e confrontos em harmonia, saúde e comunicação respeitosa.

 

Utilizamos a Hipnose Ericksoniana em diversos contextos que envolvam pessoas e objetivos comuns que a linguagem sutil, porém de profundo alcance oferta os resultados concretos.

 

Muitas pessoas ainda desconhecem o poder deste método para comunicação, negociação, acordos, mediação, saúde, bem estar e como a sua influencia nos modelos de  linguagem são eficazes.

 

 A Hipnose é uma forma de aliciar o melhor de cada ser humano por meio do inconsciente e em acordo com o consciente, essa sinergia possibilita acordos, parcerias, segurança, confiança nos relacionamentos.

 

É muito utilizada na área da saúde com excelentes resultados para comportamentos e  bloqueios desenvolvidos ao longo de uma vida, que com sua intervenção podem ficar num passado distante, abrindo uma nova perspectiva de vida e de como lidar com a situação.

 

A Hipnose liberta a mente de limitações e dos seus significados.

 

Utilizamos a hipnose no ambiente corporativo, com uma forma diferente que chamamos de Hipnose Corporativa é um modelo dedicado a liderança, acordos, negociação e relacionamento, para alinhar os objetivos e definir uma direção para os envolvidos que traga o resultado esperado.

Psicologia Transformacional

A Psicologia Transformacional tem como objetivo desenvolver capacidades para atingir os objetivos com agilidade e suavidade, por intermédio da transformação de memórias, que limitam o desenvolvimento de uma pessoa.

 

Você sabia?

Que grande parte dos “problemas” vivenciados pelas pessoas no ambiente profissional e pessoal, são relacionadas às emoções. Viver preso aos traumas ou experiências passadas, distorce e limita a experiência de vida e a evolução pessoal, emocional e profissional. Organizar as emoções e memórias de forma temporal auxilia a como transformar o conteúdo psicológico, emocional e físico de uma situação.

 

Qual é a diferença entre a Psicologia Transformacional e a Psicologia tradicional?

Na Psicologia Transformacional, as experiências são reorganizadas, com a modificação de seus significados, sentimentos e registros internos, construindo desta forma, uma nova memória e também um novo repertório, que permite autoestima, maturidade, equilíbrio emocional e físico.

Sentir-se preparado para lidar com as situações de stress, insegurança, mudança, impactos emocionais e pessoais, são alguns dos grandes benefícios na utilização da Psicologia Transformacional.

A Psicologia Transformacional pode ser utilizada em crianças, adolescentes e adultos. Por ter resultados pontuais ela também é aconselhada para processos de Orientação Vocacional, Personal Consulting e Coaching em todas as suas modalidades.

 

Qual é o diferencial da Psicologia Transformacional?

Ela é aplicada para transformar uma realidade pouco produtiva (entendendo que inexiste certo ou errado, e sim como você deseja se relacionar com determinados sentimentos). Nela, todas as emoções podem ser trabalhadas e transformadas, diferente de pontuar uma emoção ou de procurar um culpado para justificá-las.

Engenharia da Felicidade

Engenharia da Felicidade

Consideramos que a Felicidade é um fator de decisivo na forma que uma pessoa lida com a vida pessoal e profissional e, que diversos estudos mostram o  impacto produtivo  quando há a força da Felicidade.

 

Independente da fonte que gera esse estado ele é altamente produtivo para desenvolver uma vida com sentido e com maior autonomia para responsabilizar-se pelas suas escolhas, decisões e resultados.

A Felicidade tem o poder de ativar o cérebro e liberar substancias como endorfina, oxitocina, dopamina e serotonina que são essenciais para a vida de qualidade e satisfação.

 

A Engenharia da Felicidade é uma metodologia que  considera cada indivíduo, seus objetivos e crenças e como é possível desenvolver padrões mentais e emocionais que ativem o   cérebro  para que a Felicidade passe a fazer parte da vida com naturalidade.

 

Com a Engenharia da Felicidade é simples identificar o que faz cada pessoa feliz respeitando a sua singularidade e construir uma nova atitude diante da vida  que  transforme talentos em resultados concretos.

Quando uma pessoa está feliz existe  conexão com a vida e com os diversos papeis que  são vividos , há uma sensação de propósito e de sentir que está no lugar adequado para experienciar a vida em sua plenitude.

 

 

"Ser feliz é um estado simples que pode permear a vida  sem a idealização da inatingível felicidade futura, afinal o que existe é o presente e só nele é possível viver a real felicidade!”

 

Essa metodologia pode ser utilizada de diversas formas dentro do nosso trabalho, tanto no contexto individual como dentro das empresas.

Temos o inventario da Engenharia da Felicidade uma ferramenta simples que mapeia o índice de Felicidade considerando critérios identifica como uma pessoa está vivenciando a sua felicidade.

 

Inventário da Engenharia da Felicidade

 

Uma ferramenta simples que permite à identificação do nível de felicidade de uma pessoa ou um grupo, sempre pautado em seus valores, critérios, cultura e objetivos, permitindo assim uma adequação à singularidade de cada indivíduo com a ferramenta.

Inexiste um “padrão único” de felicidade, essa visão é completamente antagônica a real felicidade, considerar essa variável é um diferencial em nossa ferramenta.

 

O que se ela possibilita?

 

Identificar o que pode ser realizado para ajustar os padrões mentais, emocionais e psicológicos para que a Felicidade torne-se acessível como um impulsionador para o alcance de metas tanto pessoais, profissionais, emocionais e espirituais.

Construir um modelo mental que permita uma nova atitude diante de situações cotidianas e importantes para uma transformação.

Simplificar o acesso a própria Felicidade e ser autônomo para essa construção, libertando-se de emoções limitantes ou bloqueios de pouco merecimento.

Identificar o quanto uma empresa e sua Cultura Corporativa estimulam os seus Talentos a produzirem de forma.

 

Liderança com a Engenharia da Felicidade

Preparar lideres para desenvolverem as suas competências como um multiplicador da metodologia, exercendo uma liderança com a sua equipe que valorize estratégias para de ativar o melhor dos profissionais.

Uma liderança onde a felicidade tem um sentido direto na conquista de resultados com comprometimento.

Uma liderança que compreende os valores e critérios da equipe e faz a conexão com os valores da empresa, elaborando uma trilha de crescimento que faça sentindo para todos os envolvidos.